Kale: explicando a cor verde da sua forma super saiyajin

       Ao que tudo indica, Dragon Ball Super veio não apenas para descanonizar Dragon Ball GT e projetar rios torrenciais de dinheiro para os bolsos da Toei Animation e do Mestre Akira Toriyama, veio também para adicionar variadíssimos elementos à franquia, como a variedade de cores que o cabelo de um super saiyajin pode ter. Não que isso fosse exatamente uma novidade, visto que o Broly já apresentava uma transformação com a cabeleira esverdeada [1].






       A bem da verdade, o que o Dragon Ball Super fez foi canonizar o super saiyajin de cabelos verdes vistos nos filmes antagonizados pelo Broly, pois as outras cores se dão nas transformações deus saiyajin (cor vermelha) e super saiyajin com ki divino, que, como visto, pode ocorrer tanto na cor azul (Goku e Vegeta), quanto na cor rosa (Zamasu no corpo do Goku). Aliás, o Zamasu-em-corpo-de-Goku, ao dizer que escolheu a cor rosa para o cabelo da sua transformação, deixou a entender que outras cores poderiam ser escolhidas, assim como Freeza escolheu a cor dourada para a sua (até agora) última transformação.
       Assim, assumindo que a cor automática dos cabelos da transformação de super saiyajin com ki divino é a azul (super saiyajin blue) e que a da transformação super saiyajin é a amarela, bem como sabendo que a cor rosa dos cabelos do Zamasu-em-corpo-de-Goku como super saiyajin com ki divino (super saiyajin rose) foi escolhida por ele ao atingir a transformação, por qual motivo a Kale tem os cabelos verdes como super saiyajin?




       Sim, eu sei que a Kale possui a forma super saiyajin berserker, mas a cor verde não aparece somente em tal forma, também sendo vista quando ela se transforma em super saiyajin padrão - o que levanta a questão feita no parágrafo anterior, pois todos os outros saiyajin vistos até agora possuem os cabelos loiros quando se transformam em super saiyajin. Bem, a resposta que eu encontro para isso é uma só: o sentimento desencadeador da transformação. Como assim?
       Como bem entendíamos, qualquer saiyajin poderia alcançar a forma super ao ficar com uma raiva tremenda - e, pensava eu, isso talvez se devesse ao fato de os saiyajins serem emocionalmente frios, visto que, no caso dos saiyajins do universo 7, tipicamente só a família real mantém laços afetivo-familiares e consanguíneos, os demais só mantendo relacionamentos do tipo reprodutivo, à exceção de Bardock e Gine. Assim, qualquer sentimento um pouco mais aflorado já seria o suficiente para alterar o poder de batalha de um saiyajin.
       Tanto isso soava como uma verdade, que a mistura da raça saiyajin com a raça terráquea - emocionalmente mais quente - pareceu resultar em mestiços super poderosos, uma vez que os sentimentos aflorados destes colocavam o seu poder de batalha lá no alto, tal como visto com o infante Gohan e seus rompantes de raiva na "saga dos saiyajins" ou no fato de Goten e Trunks terem atingido a transformação de super saiyajin ainda crianças, aquele tendo feito isso num rompante de raiva enquanto era treinado por sua mãe.





       Inclusive, nisso estaria a chave para a resposta, sendo importante elencar as transformações em super saiyajin de cabelos loiros ocorridas de acordo com esse (agora antigo) entendimento:

  1. Goku transformou-se em super saiyajin ao ficar com raiva pela morte de Kuririn;
  2. Vegeta, por ter sido superado por um saiyajin de classe baixa, sendo que ele, um membro da realeza, é quem deveria ter conseguido se transformar em super saiyajin (de acordo com a crença dele);
  3. Gohan, por outro lado, transformou-se enquanto treinava com o pai na Sala do Tempo e, embora não saibamos o que aconteceu para que ele se transformasse, podemos assumir que foi mediante a raiva, visto que, após o treinamento, Goku concluiu que a maneira para superar a transformação seria eles ficarem 24 horas por dia transformados, até que ela parece não ser um estado alterado deles, e sim a sua forma natural, foi isso que fez com que Gohan se transformasse em super saiyajin 2 ao ficar com raiva pela morte do androide nº 16;
  4. Goten, como anteriormente dito, transformou-se ainda criança, ao ficar com raiva enquanto treinava com sua mãe;
  5. Trunks, por sua vez, não teve a sua primeira transformação mostrada, mas, dada a forma como Goten se transformou, podemos deduzir que também aconteceu num rompante de raiva e também na presença da mãe, Bulma, visto que Vegeta desconhecia a capacidade do filho até que ele a revelasse como se fosse uma brincadeira de criança;
  6. Kyabe, do universo 6, transformou-se pela primeira vez durante o Torneio de Champa, quando Vegeta o ensinou ao seu modo, deixando-o com raiva e, deve-se ressaltar, frisando para que o seu pupilo nunca esquecesse esse sentimento;
  7. Finalmente, Caulifla, também do universo 6, atingiu tal forma ao ser ensinada por Kyabe, mas este ensinou-a de maneira mais técnica e formal, porém, ainda seguindo os princípios do meio pelo qual ele se transformou.


       Assim, não é difícil concluir que há uma associação entre o sentimento de raiva e a transformação em super saiyajin de cabelos loiros, porém, a recente entrevista do criador da franquia, Akira Toriyama, à revista Saikyou Jump de dezembro de 2017 trouxe um novo entendimento quanto à transformação em super saiyajin: qualquer membro da raça cujo corpo tenha determinada quantidade de "células S" pode transformar-se mediante determinado gatilho, como a raiva, sendo que a quantidade de tais células pode ser aumentada se a pessoa (um saiyajin puro ou mestiço) tiver um espírito gentil e determinada quantidade de poder, poder esse que pode ser conseguido treinando.
       Também foi explicado em tal entrevista que os filhos do Goku e do Vegeta tiveram maior facilidade para transformarem-se por provavelmente terem herdado "células S" dos seus respectivos pais e terem crescido no ambiente gentil da Terra.
       Como podemos ver, mesmo com a resposta do Akira Toriyama, certo entendimento quanto à transformação em super saiyajin não ficou assim tão alterado, afinal de contas, um gatilho emocional ainda é necessário para a transformação e, como eu anteriormente havia proposto, o ambiente social do planeta Vegeta não favorecia isso, uma vez que os saiyajins como indivíduos emocionalmente frios e, portanto, completamente indiferentes às coisas, teriam maior dificuldade para sentir uma raiva tal como a sentida por Goku diante do assassinato do seu melhor amigo.
       Desta feita, podemos assumir que sim, a raiva é o gatilho emocional para a transformação em super saiyajin de cabelos loiros, mas e quanto ao super saiyajin de cabelos verdes? Bem, Kale não se transformou exatamente por um sentimento de raiva, ao menos não uma raiva pura ou não somente raiva, pois, embora possamos considerar que ela tenha sentido raiva no momento, o fato é que ela sentiu muito mais ciúme (por sua best friend forever, Caulifla, estar dando mais atenção para Kyabe) antes de se transformar em super saiyajin berserker. Portanto, se a raiva desencadeia a transformação em super saiyajin loiro, o ciúme desencadeia a transformação em super saiyajin de cabelos verdes.
       Agora, considerando que o ciúme e a inveja andam de mãos dadas, afinal de contas, quem sente ciúme inveja o outro (no caso de Kale, ela invejou Kyabe por receber toda a atenção de Caulifla), há uma longa tradição de utilizar a cor verde associada à inveja e ao ciúme, tradição essa que poderia até mesmo ser a origem referencial para a ideia dessa cor de cabelo - isso, claro, se desconsiderarmos que o Broly já tinha cabelos esverdeados e não se transformou pela primeira vez por causa de ciúme (todavia, ainda assim seria possível associar o verde nos cabelos do Broly a essa tradição, mas isso veremos mais adiante). No caso, teremos que viajar alguns séculos até um certo William Shakespeare.



William Shakespeare
na forma controlada do Super Saiyajin Berserker.

       Sim, Shakespeare. O Bardo é usualmente creditado como o criador da ideia de que uma pessoa se torna verde de inveja/ciúme, pois, em Othello, há o seguinte diálogo:


"O! Beware, my lord, of jealousy; it is the green-eyed monster which doth mock the meat it feeds on." 

"O! Cuidado, meu senhor, de inveja; ele é o monstro de olhos verdes que zomba da carne de que se alimenta."


       Essa utilização que Shakespeare faz da cor verde em associação ao sentimento de ciúme/inveja, e que teria sido inspirada num gato de olhos verdes a brincar com sua presa, pode ser vista como a mais antiga na literatura de língua inglesa, visto que outros escritores anglófonos e posteriores ao Bardo, como Mark Twain também se valeram de tal uso. Este, por exemplo, o fez [2] no seguinte trecho de "A Connecticut Yankee in King Arthur's Court" (Um ianque de Connecticut na corte do Rei Arthur):



"It turned Brer Merlin green with envy and spite, which was a great satisfaction to me." (p.86)

"Isso deixou Brer Merlin verde de inveja e rancor, o que foi uma grande satisfação para mim." (p.86)



       Todavia, é dito que o Bardo não foi o primeiro a se utilizar de tal associação, uma vez que Geoffrey Chaucer o teria precedido [3] e muitos e muitos séculos antes, ainda na antiguidade, os gregos já se utilizavam dela, sendo dito por Kate Smith que David Feldman, no livro "Who put the butter in the butterfly?... And other fearless investigations in our illogical language" ("Quem pôs a manteiga na borboleta?... E outras investigações destemidas na nossa linguagem ilógica", sem tradução para o português) afirma que eles se utilizam de determinado termo, que significava tanto "pálido" quanto "verde", a fim de quererem fizer "doentio", pois pensavam que, quando se estava doente ou com ciúme, o corpo produzia muita bile, o que deixaria a pele com um tom esverdeado.



Radiação Gama? Talvez o problema do Hulk seja excesso de bile... huehue

       E, para corroborar isso, tem-se ao menos um poema (aparentemente inacabado) de autoria de Safo de Lesbos em que ela utiliza o termo correspondente em grego antigo para a cor verde (ou a palidez), o entendimento sendo de que o eu-lírico se encontra com ciúmes e o poema em questão tendo ficado conhecido como "Sappho's poem of jealousy" (o poema do ciúme de Safo) ou pelo título de "O ciúme" [4]:


O ciúme 
Parece-me igual aos deusesesse homem que, sentado na tua frente,te ouve de perto falar docementee rir de maneira encantadora,o que me faz saltar o coração no peito. 
Pois, quando te olho por um momento,já não sou capaz de dizer nada,a minha língua silenciosamente gelae imediatamente um fogo subtil corre sob a minha pele. 
Deixo, subitamente, de ver,os meus ouvidos zuneme um suor frio cobre o meu corpo,dominado por intenso tremor. 
Fico então mais verde do que a ervae pareço pouco distante de morrer. 
Mas tudo se deve suportar, porque...


       Por fim [5] e uma vez que ficou mais do que claro não somente que a cor verde historicamente se encontra associada ao ciúme (e à inveja), como também que o fato de esse sentimento ter sido o gatilho emocional para a transformação da Kale fez com que ela se tornasse uma super saiyajin (padrão e berserker) de cabelos verdes, concluo este post (que eu gostei muito de fazer) dizendo que, embora Broly seja um personagem não canônico (leia-se: coisa da Toei Animation) e a sua transformação não tenha sido engatilhada por ciúme, a cor dos seus cabelos quando na forma super saiyajin pode ser explicada pelo mesmo princípio aqui apresentado, visto que, como dito no post, a cor verde também associa-se ao que é doentio, tal como a loucura do filho de Paragas.




NOTAS

[1] Eu comecei a fazer este post bem antes da entrevista do Akira Toriyama, então acabei tendo que fazer alterações quanto ao conteúdo do texto.

[2] Outras utilizações feitas pelo Mark Twain se dão no capítulo XXI de "A tramp abroad", intitulado "Insolent Shopkeepers and Gabbling Americans", e no capítulo VIII de "Tom Sawyer". Para verificar a utilização da expressão "green with envy" em outras obras da literatura anglófona, podes clicar neste link da pesquisa que fiz no site da Free Library, sendo possível acessar tanto a obra inteira (clicando no nome dela), quanto a página onde a expressão se encontra (clicando em "go to page").

[3] Todavia, ainda não encontrei nenhuma associação da cor verde com a inveja ou o ciúme nas obras de Chaucer, apenas com a falsidade no amor. Quem souber onde consta essa associação, compartilhe.

[4] Existem centenas de diferentes traduções desse poema nas mais diversas línguas, o site Bureau of Public Secrets apresentando algumas em inglês e francês, nas quais é possível ver a enorme diferença entre uma tradução e outra. Também em português há essas diferença de tradução e mesmo de estruturação do poema, como pode ser visto no PDF disponibilizado por Marcelo C. Barbão no site Domínio Público e no artigo científico "A alma e o corpo nos fragmentos de Safo: traduções e adaptações", de Manuel Pulquério. A propósito, a tradução do poema em questão adota por mim neste post foi a apresentada em tal artigo, todavia, dispus os versos numa estrutura que julguei ser esteticamente melhor de se ler e entender.

[5] Enquanto vasculhava a internet atrás de algumas informações complementares e obras de escritores anglófonos para melhor localizar páginas contendo a associação entre a cor verde e a inveja ou o ciúme, eis que me deparei com uma discussão (datada de 04 de junho de 2017) no fórum da Kanzenshuu sobre como a cor verde do cabelo da Kale poderia ser explicada, basicamente, pelos mesmos argumentos aqui apresentados. Leiam lá (link nas referências).






REFERÊNCIAS

Bureau of Public Secrets. Sappho: Love poem (34 translations). Disponível em: [http://www.bopsecrets.org/gateway/passages/sappho.htm].

Kami Sama Explorer, Canal. Os dez maiores segredos dos saiyajins revelados por Toriyama! + Yamoshi, o lendário super saiyajin. Publicado em: 02 Dez 2017. Disponível em: [https://www.youtube.com/watch?v=ZWJnmtjfV18].

Kanzenshuu. "Dragon Ball Super" Official Announcement & Discussion Thread. Trecho publicado em: 04 Jun 2017. Disponível em: [http://www.kanzenshuu.com/forum/viewtopic.php?t=30157&start=43300] e em (página do post originalmente feito por "perucho1990"): [http://www.kanzenshuu.com/forum/viewtopic.php?f=25&t=30157&start=43280]. 

Kate Smith. Turning green with envy. Publicado em: 2016(?). Disponível em: [http://www.sensationalcolor.com/color-meaning/color-words-phrases/green-with-envy-2109#.WiZEtUqnGyI].

Manuel Pulquério. A alma e o corpo em fragmentos de Safo: traduções e adaptações. Revista Máthesis, nº 10, 2001, p. 155-187. Disponível em: [http://www4.crb.ucp.pt/Biblioteca/Mathesis/Mat10/mathesis10_155.pdf].

Mark Twain. A Connecticut Yankee in King Arthur's Court. 1890. Disponível em: [https://archive.org/details/connecticutyanke00twaiuoft].

Safo. Poemas. Versão Acrobat por Marcelo C. Barbão. Mar 2002. Disponível em: [http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/ph000390.pdf].

Comentários